Case de Liderança

Amanda é gestora de atendimento de uma equipe de 15 pessoas. Seu departamento é responsável por atender pacientes em uma clínica odontológica. Antes de iniciar o processo de coaching, era uma líder centralizadora e controladora, do tipo que tudo tinha que ser como ela achava. Era bastante objetiva, chegando a ser fria algumas vezes. Não era do tipo de conversar muito com a equipe.

Ela se engajou no coaching de liderança com o objetivo de desenvolver algumas competências: visão estratégica, comunicação menos direta, delegação, monitoramento e planejamento.

À medida que as sessões foram se desenrolando, ficou clara a falta de contato pessoal de Amanda com sua equipe. Era ela mandando e as atendentes executando. Ela se deu conta que isso gerava uma dependência enorme e que isso era proveniente de seu jeito extremamente objetivo de ser e de querer que as coisas sejam sempre do seu jeito.

Foi aí que começamos a trabalhar a delegação e monitoramento. Aos poucos, Amanda verificou que delegando, ia construindo a confiança na equipe e só lhe restava monitorar. Com isso ela começou a notar também a participação maior de sua equipe com ideias e sugestões.

Ao mesmo tempo, ela se abriu mais para a equipe e começou a se aproximar das pessoas de sua equipe. E, para surpresa dela mesma, ela gostou de se relacionar mais e melhor com a equipe. E a equipe ficou muito feliz de poder contribuir.

Naturalmente, a comunicação melhorou pois Amanda percebeu que sua equipe era capaz e que não precisava “mastigar” tanto tudo o que passava à equipe. Bastava colocar o problema e aguardar as sugestões.

Amanda se queixava de falta de tempo e, com a delegação em prática e a percepção do retorno positivo da equipe, ela começou a ter mais tempo. Tanto que pôde começar a exercer seu real papel de líder, aquele de ter visão estratégica para melhorar processos, pensar nos resultados e cuidar da equipe.

Hoje Amanda tem um departamento com um clima fantástico, onde todos se dão bem, cooperam, contribuem. Ela acompanha o trabalho da equipe sem fazer por ninguém, mas estando lá para ajudar quando necessário. A equipe está se desenvolvendo continuamente e muito mais motivada pois está usando seu potencial. E, ainda por cima, Amanda tem tempo para se dedicar a assuntos estratégicos da empresa.

Tudo o que Amanda precisou foi de um olhar profissional para sua liderança e de boa vontade de sua parte para se abrir ao processo de coaching e levar as descobertas e ensinamentos para a rotina.